quinta-feira, 30 de junho de 2011

Búfalo – Too Young To Think Of Dying

Búfalo é um dueto de Santa Catarina formado em 2011 pelos membros Renan Pamplona (vocais, efeitos e letras) e Felipe Mattos (vocais, violão, guitarra, letras). Eles lançaram recentemente seu primeiro EP chamado "Too Young To Think of Dying", com seis músicas gravadas no melhor estilo lo-fi, com influências de uma nova geração de bandas como Wavves, Toro y Moi, Sleep Party People e The XX.



 
Mais informações:
 
Ouça :
 



terça-feira, 28 de junho de 2011

ICEAGE - NEW BRIGADE


Iceage
New Brigade


A Efervescência do punk sobrevive ou ao menos, dá sinal de vida. Essa impressão que fica logo após ouvir os adolescentes dinamarqueses do Iceage.
Incrível... Se você comparar o som com visual algo não combina, influências da velha guarda do punk ajustadas em roupas surfwear. Nada de coturno, jaqueta de couro e moicano (apesar que o moicano pelo menos aqui no Brasil perdeu o significado da rebeldia).
Mas, nada disso tira o mérito do debut intitulado new brigade, ainda que a desconfiança reine e  os três acordes nervosos não te passam confiança. Ouça, é dos melhores álbuns punk dos últimos dez anos de uma banda iniciante. Talvez a pior parte é convencer os garotos dinamarqueses que eles são tudo isso!!! 


http://www.myspace.com/egaeci

download

http://www.easy-share.com/1916001839/IceAge_-_New_Brigade_%282011%29_%5BMP3%5D_ES_3603751.rar



domingo, 26 de junho de 2011

Lost Lander


Lost Lander
A príncipio pareceu-me semelhante ao Fleet Foxes.
Confira e aguarde debut:

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Bela Infanta - Às vezes os pássaros não voam pro mesmo lado no inverno



Bela Infanta



Às vezes os pássaros não voam pro mesmo lado no inverno



Depois de ler duas resenhas muito detalhistas, resolvi fazer o download do elogiadíssimo “Ep” “As vezes os pássaros...”. A primeira audição da Bela Infanta não me trouxe nenhuma novidade além do que já tinha lido, méritos dos blogueiros da ocasião. Confesso porém que eu estava muito atarefado arrumando a vara, o molinete, o engate e a garatéia. Pela primeira vez na vida eu iria pescar em alto mar, não que pesca seja um hobby para mim, nunca foi e nunca será. Na verdade era mais uma fuga necessária que meu corpo cansado da rotina diária, das cobranças, dos deveres, das imposições, das oposições, enfim...
Era notório que eu não tinha habilidade nenhuma para preparar o material de pesca e, somente quando me machuquei com a garatéia, custando me um rasgo no dedão e dezenas de gotículas de sangue que, notei que “Ep” já tinha acabado.
Sussuros e Escarros e FLOGA-SE certamente não fariam a politica do Bom Samaritano em suas paginas. Procurei rapidamente um Band- Aid (Olha eu aqui fazendo propaganda) para sanar o machucado.
Bem, resolvi colocar aquele e “Ep” no meu mp4, faria parte das bandas que me acompanharia naquela fuga.
São Sebastião cidade litorânea do Estado de São Paulo, estava menos frio do eu imaginava e, o desajeitado aqui conseguiu enroscar a garatéia  na lona do barco e, houve uma comoção geral pra o desfecho da situação.
O barco em movimento comandado por jovem que falava como se fosse o Mano Brown nos orientou sobre o colete salva-vidas e me chamou de mano.
Demoramos quase duas horas pra chegar no lugar apropriado para pesca do peixe espada. Um aprendizado, mesmo num mar tão imenso existe o lugar certo pra pesca. Logo de cara comparei com cena do rock nacional, mesmo num país tão imenso como nosso há regiões melhores ou mais férteis pra isso. Hoje em dia não existe melhor Região que, a Região Sul e o interior de São Paulo (Taubaté, Sorocaba, Mogi das Cruzes...).
Seguindo esse pensamento lembrei me do mp4 e, acionando com cuidado as teclas por causa do ferimento protegido agora com Band Aid (de novo), encontrei no menu: Bela Infanta.

Certamente voce alguma vez na vida já colocou o fone no ouvido e aumentou o volume no maximo do seu mp3, mp4, walkman, celular, etc...
Foi assim que aproximei da proa, o vento frio castigava o meu rosto e o por do sol numa meia circunferência alaranjada e triste, como é triste todo o final de tarde.
No meu ouvido o som de teclado bem nostálgico bem detalhado nas resenhas que eu li e a voz suave contrariando as ondas nervosas do mar.
“As vezes os pássaros não voam pro mesmo lado no inverno” não decepciona. Mesmo flertando sempre com a melancolia e a solidão.
Dissabores, rancores, amarguras... As letras nos remetem ao um mundo sombrio, frio e inóspito porém, poucos são aqueles que descrevem esse lado com tanta delicadeza.
"Outono de 1987". Essa musica me fez pirar... É importante lembrar que lua se fez presente a noite inteira e a música introspectiva da Bela Infanta me fez lembrar na minha tenra idade...
Ah... Pescaria foi ruim como disse jovem que lembrava o Mano Brown:
_ O mar tá virado...

Obs: Resenhas
http://www.botequimdeideias.com.br/flogase/?s=bela+infanta&x=11&y=13
http://sussurros-e-escarros.blogspot.com/2011/06/bela-infanta-branco-ep-2009-e-as-vezes.html

 DOWNLOAD
http://www.mediafire.com/?ksh8pds6ryi2ddn

quarta-feira, 22 de junho de 2011

The Exploding Boy - The Black Album


The Exploding boy



The Black Álbum




 Genre: Alternative/Indie/Rock
Country: Sweden
Tracklist
01. Human
02. I Am Truth
03. Torn
04. Dark City
05. Loneliless
06. Sweet Little Lies
07. Talking Back
08. Get Out Of My Head
09. Here Comes The Rain
10. The Man




Os suecos do The Exploding Boy estão de volta. Depois do aclamado disco Afterglow" (2009) pela critica especializada Européia, principalmente na Alemanha onde três singles "London", "Heart Of Glass" e "40 Days" conseguiram êxitos no top 10 da parada alternativa daquele país.




Nesse terceiro petardo continua o mesmo pos-punk melancólico que tanto  cativou a imprensa Européia e, que as vezes lembra os seus conterrâneos The mary onettes e outrora, Joy Division.  


sexta-feira, 17 de junho de 2011

The Smiths - The queen is dead


The Smiths



The Queen is dead

Já fazem vinte cinco anos que o álbum The Queen is dead foi lançado e, tenho a convicção que neste tempo só eu não mudei. As ruas da cidade foram asfaltadas, a grande seringueira da pequena praça foi cortada com a permissão do prefeito e o prefeito foi assassinado alguns anos atrás. Minha ex-namorada ficou viciada em crack e tentou o suicidio várias vezes, meu melhor amigo casou-se com a mulher mais bonita cidade e foi flagrado na cama com outro homem, um mecânico muito bem apessoado.
Os cabelos longos e encaracolados de minha mãe  não são mais os mesmos ou talvez até sejam, eu nada sei de  processo capilar porém, presos, grisalhos, sem vida,sem brilho e sem nada. Tudo e qualquer coisa se modificaram nesses vinte cinco anos de The queen is dead, menos eu.
Fecharam quase todos os bares, multiplicaram o numero de igrejas e triplicaram as religiões. Derrubaram quase todas as casas, contruiram prédios, hipermercados, condomínios e shoppings.
As vezes eu ando desconfiado pois, a minha vida não tem essas engrenagens que se encaixam em tudo. Não é timidez o meu problema, é , que todos mudaram e eu, eu não mudei.
Fizeram novos clássicos do rock : 



  Criaram novos idolos: 








Só eu não mudei pois, o melhor álbum de todos os tempos continua sendo The Queen is dead e o Morrissey é Morrissey...


 

Era assim... Ficou desse jeito

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Manicure - Grow Up


Manicure – Grow up

O pos-punk de Moscou

O lance legal da proliferação da Internet é a chance maior de conhecer bandas de rock de outros paises fora da cena Reino Unido e USA. Apesar de que o idioma Inglês continua sendo predominante para o sucesso mundial, muita banda oriunda de paises sem tradições na cena começa a pipocar nos quatros cantos do mundo.
Veja o exemplo:
Espanha
Catpeople



Portugal
Peixe : Avião



Dinamarca:

Kashmir



O Manicure oriundo de Moscou acaba de lançar o segundo álbum intitulado Grow Up. Fazendo pos-punk sombrio com muita qualidade como no inicio dos anos oitenta. Confira:





 Música (clipe) do primeiro àlbum


terça-feira, 14 de junho de 2011

domingo, 12 de junho de 2011

Dia dos Namorados (Antes que o dia Termine)


Fran Healy


02 Anything by roberval

Peter Murphy - Ninth( 2011) ex- Bauhaus "Ouça "


Peter Murphy - Ninth - 2011 (ex-Bauhaus) by roberval

Courtney Love - Behind the Music








Belle & Sebastian (Novo Clipe "Come Sister")

Belle & Sebastian

 


Henry Miller

Henry Miller

Biografia

Henry passou sua infância na Avenida Driggs em Williamsburg, Brooklyn, Nova Iorque. Mais tarde em sua juventude, era ativo no Partido Socialista (seu ídolo era o socialista negro Hubert Harrison). Tentou vários tipos de serviços e, por curto período, frequentava aulas no City College of New York. Tanto em 1928 quanto em 1929, passou diversos meses em Paris com sua segunda esposa, June Edith Smith (June Miller). Se mudou sozinho para Paris no ano seguinte, onde morou até a eclosão da Segunda Guerra Mundial. Ele viveu em condições precárias, dependendo da benevolência de amigos, tais como Anaïs Nin, que tornou-se sua amante e financiou a primeira impressão do Trópico de Câncer em 1934.
O livro sofreu dificuldades de distribuição, sendo banido em alguns países sob a acusação de pornografia. No outono de 1931, Miller trabalhou na Chicago Tribune (edição parisiense) como revisor, graças a seu amigo Alfred Perlès que trabalhou lá. Miller obteve a oportunidade de apresentar alguns dos seus artigos sob o nome de Perlès, desde que somente a equipe editorial era autorizada a publicar no jornal em 1934.Seus trabalhos relatos detalhados de experiências sexuais e seus livros trouxeram muito a discussão livre de assuntos de cunho sexual, na literatura norte americana, partindo tanto de restrições legais e sociais.
Ele continuou a escrever romances que foram banidos nos Estados Unidos sob acusação de obscenidade. A maior parte de sua obra gira em torno de sua segunda esposa June Mansfield. Em especial a trilogia Crucificação Encarnada. O casal se separou em 1934. Henry voltaria a se casar outras vezes. Durante a Segunda Guerra Mundial voltou para os Estados Unidos. Passou a ser um escritor prolífico e obteve grande sucesso após a liberação de suas obras na década de 60. Um memorial dedicado a sua obra é mantido em Big Sur, Califórnia, onde morou de 1944 a 1962. O governo Brasileiro proibiu a venda da tradução de Trópico de Câncer na década de 70, porém o livro permanecia sendo vendido no original em inglês. Otto Maria Carpeaux seria um responsável pela divulgação e reconhecimento literário das obras de Miller no país.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Henry_Miller

Trechos:


Há bocetas que riem e bocetas que falam; há bocetas malucas e histéricas com o formato de ocarinas e há bocetas abundantes e sismográficas que registram o subir e baixar da seiva; há bocetas canibalistas que se abrem como fauces de baleia e engolem vivo; há também bocetas masoquistas que se fecham como a ostra, têm conchas duras e talvez uma ou duas pérolas dentro; há bocetas ditirâmbicas que dançam à mera aproximação do pênis e ficam inteiramente úmidas com o êxtase; há as bocetas porco-espinho que abrem seus espinhos e sacodem bandeirinhas no Natal; há bocetas telegráficas que praticam o código Morse e deixam a mente cheia de pontos e traços; há as bocetas políticas que estão saturadas de ideologia e que negam até mesmo a menopausa; há bocetas vegetativas que não apresentam reação a menos que você as puxe pelas raízes; há bocetas religiosas que cheiram como Adventistas do Sétimo Dia e estão cheias de contas, minhocas, conchas, excrementos de carneiro e de vez em quando migalhas de pão seco; há as bocetas mamíferas que são forradas com pele de lontra e hibernam durante o longo inverno; há bocetas navegantes equipadas como iates, que são para solitários e epilépticos; há bocetas glaciais nas quais você pode deixar cair estrelas cadentes sem provocar uma faísca; há bocetas mistas que não se enquadram em categorias e descrições, com as quais você só encontra uma vez na vida e que o deixam queimado e marcado; há bocetas feitas de pura alegria que não têm nome nem antecedente e estas são as melhores de todas, mas para onde voaram elas? E depois há a boceta das bocetas, que é tudo e que chamaremos de superboceta, porque não é desta terra, mas daquele brilhante país para onde fomos há muito tempo convidados a voar.

Trópico de Capricórnio

Olho para as pessoas que passam ao meu lado a fim de ver se por acaso alguma delas poderia concordar comigo. Suponha-se que eu aborde uma delas e faça-lhe apenas uma pergunta simples: "Porque voce continua vivendo como vive?" A pessoa provavelmente chamaria um guarda. Pergunto a mim mesmo. Será que alguém fala consigo da mesma maneira que eu falo ? Pergunto a mim mesmo se haverá algo errado em mim. A única conclusão a que posso chegar é que sou diferente. E essa é uma questão muito séria, seja qual for o ângulo pelo qual seja encarada. Henry, digo comigo mesmo, levantando-me vagarosamente do degrau da porta, espreguiçando-me, limpando a calça com as mãos e cuspindo a goma de mascar. Henry, digo comigo mesmo, voce ainda é moço, voce é ainda apenas um frangote e se deixar que o agarrem pelos testículos é um idiota, porque voce é um homem melhor que qualquer deles, só que precisa livrar-se de suas falsas noções sobre a humanidade. Precisa compreender, Henry, meu velho, que está lidando com assassinos, com canibais, só que eles estão vestidos, barbeados, perfumados, mas é isso que todos eles são: assassinos e canibais. O melhor que voce tem a fazer agora, Henry, é ir tomar um chocolate gelado e quando estiver sentado diante do balcão de refrescos e conservar os olhos bem abertos e esquecer-se do destino do homem, porque voce poderá ainda arranjar uma boa foda e uma boa foda limpará seus testículos e deixara um gosto bom em sua boca, ao passo que isto só causa dispepsia, caspa, halitose e encefalite.

Trópico de Capricórnio

A bunda nos diz tudo sobre a mulher, seu caráter, seu temperamento, se é sangüínea, mórbida, alegre ou volúvel, capaz ou não de corresponder, se é maternal ou amante dos prazeres, se é leal ou mentirosa por natureza”. (...)

Sexus







sábado, 11 de junho de 2011

Dicas para o Domingo

Bristol






 Cults



Best Coast

 

 

 

Sepultura - Kairos


Sepultura???Num blog com o nome Tendência Indie...


...Meu filho mais velho me ligou na quinta feira  a noite. Ele me disse que iria passar o final de semana em casa. Devo lembrar que desde da morte da minha esposa meus filhos foram morar na casa dos meus sogros e, difilcimente existe um contato físico entre a gente. Ligo para eles uma ou duas vezes por semana e, é sempre rápida e evasiva nossa conversa. Até mesmo quando Cristina estava entre a gente já existia este distanciamento pricinpalmente entre e o Renato (meu filho mais velho).
Liguei pra Fernanda (a mulher que no coloquial fica assim: a mulher que tenho catado). Expliquei para ela que aquele final de semana eu não iria ao Bar do Jaime( um boteco mal iluminado e com enormes teias de aranhas no telhado. Era sempre ali neste ambiente exalando à mofo o principio de uma grande trepada).
Fernanda entendeu perfeitamente o meu motivo e ainda, a par da situação me aconselhou:
_É sua chance de ser Pai realmente.

Ouvir isso de Fernanda me fez lembrar de Cristina e de suas cobranças:
“_Voce nunca foi Pai para seus filhos” “Será que voce não consegue ser Pai um única vez na sua vida” “Não é porque voce nunca teve Pai que, voce não consegue ser Pai” “Eu sou mãe e Pai dos meus filhos”

Sábado acordei bem cedo e decidido, iria dar uma geral no quintal, podar as plantas, lavar as louças enfim, fazia quase um mês que não via o meu filho. 
Bem, as 11 horas da manha já tinha acabado tudo, a casa parecia nova. De repente veio na minha cabeça “refrigerante” sai correndo pro supermercado.
 Na volta em frente ao portão o meu filho na minha espera, todo de preto com camiseta com estampa do Sepultura o álbum Arise. Lógico que estranhei, pois ele sabendo que sou fascinado por musica nunca comentou sobre musica comigo. Como assim, agora Sepultura. Sei lá, se estava querendo chamar minha atenção errou feio, fazia muito tempo que eu não ouvia metal e Sepultura pra mim acabou quando Max saiu.

Eu tento ser forte a maior parte do dia, eu escondo minha tristeza muitas vezes em minha arrogância, eu tento ser forte usando o meu sarcasmo como escudo e quando eu rio a falsidade camuflam minhas lagrimas. No entanto ver meu filho adentrando com passos lentos por aquele corredor cortou meu coração, imagino o filme que estava passando em sua cabeça, certamente as lembranças da mãe fazia seus passos ainda mais lento, seu olhar demorado nas orquídeas. Segurou a maçaneta da porta, largou e olhou pra mim. Era notória sua tremedeira. Respirou fundo segurou a maçaneta e abriu a porta. Olhou rapidamente a sala e, foi para cozinha  direto e nem olhou  para o meu quarto melhor, o quarto de sua mãe.

Apenas pra quebrar o silencio eu disse:
_E essa camiseta do Sepultura?
_É igual que você tinha.
Respondi que era verdade mas, eu até tinha esquecido disso.
_Eu baixei o novo deles “Kairos”. Você já ouviu?
_Não – Respondi com vontade de dizer “O pai não houve Metal há década” No entanto me lembrei de Cristina “Será que você não consegue ser pai uma única vez na vida.” E continuei:
_ Você tem ai?
_ Tenho no meu celular. Cadê o computador eu, passo rapidinho pra você.
_ Ta na sala. Vamos lá.
Tenho a impressão se eu falasse “Está no quarto” Ele recusaria entrar.

Kairos



Confesso que minha empolgação de ouvir o novo álbum do Sepultura era zero. Sepultura sem os Cavaleras não é Sepultura.
Mais de novo eu ouvi a voz de Cristina “Não é porque voce nunca teve Pai que, voce não consegue ser Pai”.

Spectrum... Não me impressionou porém, era “Metal” bom. Coisa que o Sepultura do Derrick Green nunca fez.

Kairos... Opa!!! Realmente comecei interessar me pelo o álbum. Não é mentira o vocal lembra o Max. Dificilmente voce consegue ficar sem balançar a cabeça.

Dialog... É Pantera demais, que bom!!!

Com certeza é o melhor álbum do Derrick como frotman do Sepultura.

Jean Dolabella toca muito bateria.

Structure Violence (Azzes) poderia fazer parte de Chaos A.D.

Vale destacar o bônus track: Firestater do The Prodigy... Animal.

_ Pai Você gostou?
_ Nossa é bem louco. Calma ai vou pegar cerveja.
SEPULTURA - Kairos by NuclearBlastRecords
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...