sábado, 28 de abril de 2012

Spiritualized - 'Sweet Heart, Sweet Light'




Eu estive ausente uns dias. Na verdade eu estava impossibilitado de postar qualquer coisa, devida uma surra gigantesca que eu levei. Olho roxo, braço engessado, corte profundo no lábio superior, hematomas pelo corpo inteiro...  
Tudo isto aconteceu exatamente há uma semana, tinha acabado de fazer o download do novo álbum do Spiritualized intitulado “Sweet Heart Sweet Light”, quando o telefone tocou:

_Alo?
_E ai Rober,  tá fazendo o quê?
_ Eu – E antes que pudesse responder.
_Desliga essa porra de computador, tenho um lugar legal pra gente ir. Eu, você e o Jerry.
Quem estava do outro da linha era o Ricardo. Ricardo e o Jerry trabalhavam comigo na mesma maquina um laminador enorme tão quente que apelidamos o laminador de “inferno”. Dois homens casados que viviam na farra, bebedeiras, mulheres e confusões... Os caras têm historias pra contar, mas, o que mais me impressiona que os caras estão ali (inferno) todo dia, não importa a noite em claro, a ressaca, a quentura, a briga com esposa, a foda com a amante... Eles estão ali, às vezes com caras de pouco amigos, com sono, com febre ou alguma doença venérea. Isto não importa, eles estão produzindo do mesmo jeito.

_É que meu carro...
_Rober esqueça carro, esqueça dinheiro, esqueça tudo. Cara desde que a Cristina morreu você vive enjaulado e, já faz mais de um ano. Você precisa divertir. Você precisa dançar, você precisa se soltar,  fazer sexo... Ouviu fazer sexo.
_Eu tenho feito.
_Masturbar não é sexo.
_Não. Eu tô falando da Fernanda.
_Cara. Na boa Rober. Eu acho que você foi horrível com a Fernanda que, depois de três meses que vocês terminaram, ela arranjou outro e, está com o casamento marcado. Acorda Rober, as minas só querem  Tchu, tcha tcha.  
Depois de uma hora do telefonema um carro com um som no talo me esperava em frente da minha casa. Antes mesmo de colocar o cinto de segurança já me dera uma latinha cerveja. Jerry todo empolgado gritou:
_É nóis... Vai Curintias.

Por mais que você tente fugir, esconder, desaparecer, tampar os ouvidos essas pragas te perseguem. Ricardo por sua vez além de aumentar o volume, começou a cantar em plenos pulmões:

Não sei onde estávamos quando carro parou. Um lugar afastado do centro da cidade, porém a cidade eu não sei, talvez seja Roseira, Aparecida, Tremembé, Lorena ou Guaratinguetá.
Lotado.
Enquanto Jerry e Ricardo foram para o salão, eu encostei-me ao balcão e pedi uma latinha cerveja “Puta que Pariu, cinco contos.” Pensei no álbum do Spiritualized, certamente um álbum “fudido”, estará com certeza nas listas nos melhores do ano.

_Oi! Tá sozinho ai?
Vou confessar, vi aqui sem vontade, só não me atirei do carro quando tocava “Tchu, tcha tcha” por intervenção divina, cinco contos numa latinha de cerveja é um exagero e outra coisa, Fernanda já mais terá em vida orgasmo duplo como teve comigo isto garanto, é fato.
“Tendeu”?

_Não. Estou com dois amigos.
Devo confessar que mulher conversava comigo deveria ter uns vinte cinco anos. Linda, loira, seios médios, lábios grossos, cintura fino, bumbum empinado e o perfume que ela usava era o perfume.

Ela me perguntou:

_Você sempre vem aqui?
_Primeira e ultima vez. Não gostei da musica e nem do preço da cerveja.
_E que musica você gosta?
Tentei ser politicamente correto Radiohead... Sei lá acho todo ser humano conhece ou deveria conhecer...

Pearl Jam...

 The Cranberries.

_Nossa. Nunca ouvi falar. The Cran… O que???
_The Cranberries.
Ela sorriu. E aquele sorriso tão gostoso que eu perdoaria se ela me dissesse que nunca ouviu falar da Legião Urbana que, nos seus vinte cinco anos de vida  que talvez ela tivesse eu ainda, perdoaria se ela confundisse Kurt Cobain com um Deus Grego.
E conversando com ela até concordei que cerveja em latinha estava num preço  acessível  rimos, falamos e até o  silencio tinha algum significado. Saímos do clube,  encostamos  no carro do meu amigo Ricardo um Golf 2008 preto no qual jurei ser meu.  Beijamos em baixo daquela lua enorme amarela e oval, a mina era bonita de rosto mas, eu não sei se por instinto masculino ou meu próprio instinto eu preferi tocar em sua bunda, uma bunda empinada.
E, quando consegui finalmente tirar sua camiseta e desabotoar o seu sutiã e ter aqueles  seios tão lindos, tão pertos e tão meus.
Ela me disse desesperada:

_Meu marido...
_Mari...

Acho que foi assim mesmo, nem deu tempo de pronunciar marido e primeiro soco atingiu a o meu lábio superior. Lógico que me lembro da musica que tocava ao fundo, outra praga que me persegue em todo lugar...


No entanto agora em casa em frente do computador  eu coloco a trilha que eu quiser.
Spiritualized – Sweet Heart Sweet  Light

Talvez a musica Huh? Resumi  bem o primeiro soco.

Hey Jane – Eu me lembro de você da sua calcinha de algodão nova, correndo desesperada com os seios de fora, enquanto da minha boca escorria sangue quente e enjoativo.

hey jane, where you’re going today?

you broke my heart then you ran away



Outro soco na cabeça, como uma pessoa  impiedosa  dessa pode socar alguém que nunca viu, que nunca mais  vai ver (eu torço pra isso)por causa de uma mulher bonita eu concordo mas, que me deu um prejuízo significativo de três latinhas de cervejas , trabalho laborioso de abrir seu sutiã e abaixar sua calcinha nova de algodão.
  
Sucessões de repetidos  golpes  na minha cabeça me levaram não sei como a minha tenra idade, então eu me vejo com quatro anos de idades fugindo de gansos desesperado. Meu Pai ainda em vida rindo desenfreadamente.

To late  
Tento me levantar no mesmo instante que um chute acerta o meu saco. Onde estão Jerry e Ricardo? Na certa se divertindo dançando com suas vitimas de grelos rosados e enormes.

Amanha no café que antecede o serviço estarão contando suas peripécias sexuais, debochando de suas vitimas, falando “Tchu, tcha tcha”, dando ênfase da minha cara inchada e da sorte que tive de não estar morto.

Freedom

 Os caras, pois era mais de um talvez, uns quatro. E o marido o que me socou com tanta violência deveria ser um cara frustrado consigo mesmo  perguntou:
_Será que ele está morto?
Um grandão que certamente faz jui -Jutsu respondeu:
_Se não morreu certamente vai morrer.
_Então vamos embora.

O Ricardo e o Jerry só me encontraram depois das três da manha, com sangue já coagulado ao redor minha boca, com olho bastante inchado e roxo, o lábio superior com um rasco como se fosse feito com uma faca.
_Meu Deus- disse Ricardo.
Colocou-me no banco traseiro com cuidado, nessa hora Cristina eu pensei em você.

Jesus won't you be my radio
Broadcast direction where I got to go
Send me your signal and I will receive
Jesus please be there to take care of me


Jesus please be my automobile
Won't get to heaven 'less God's at the wheel
Send me your chauffeur and I will get in
Jesus please drive me away from my sin



And I won't get to heaven
I won't be coming home
I will not see my mother again
'cause I'm lost and I'm gone
And this life is too long
And my willpower's never to strong



Jesus please be my aeroplane
Fly me to heaven and ever again
Will I be weak-willed, stoned, or get high
Jesus please meet me the day that i die



Jesus please be my bullet and gun
Shoot all the sinners down, every one
Kill all my demons and that will be fine
But I will be reloading all of the time



And I won't get to heaven 
I won't be coming home
I will not see my mother again
'cause I'm lost and I'm gone
And this life is too long
And my willpower's never too strong


Pensei nos meninos órfãos, pensei no choro de minha mãe  e a desolação meus irmãos. Tive pensamentos bobos também com duvida com quem iria ficar os meus vinis raros do Nirvana, quem iria cuidar da nossas orquídeas.
Mas dessa vez Cristina... Eu tô aqui quase imóvel ouvindo a ultima musica 
“So long you pretty thing”
 do álbum SpiriualizedSweet Heart Sweed Light. 



sexta-feira, 27 de abril de 2012

Era assim... Ficou desse jeito. (Def Leppard / Yahoo)

Def Leppard
Era Assim...
<a href="http://www.youtube.com/watch?v=UPU9az11si0?hl=en"><img alt="Play" src="http://www.gtaero.net/ytmusic/play.png" style="border:0px;" /></a>

Yahoo
Ficou desse jeito.
<a href="http://www.youtube.com/watch?v=y8tYM1O1Nkk?hl=en"><img alt="Play" src="http://www.gtaero.net/ytmusic/play.png" style="border:0px;" /></a>

Blitzen Trapper: Stranger in a Strange Land (Video Novo)



segunda-feira, 16 de abril de 2012

First Aid Kit - The Lion's Roar



Acabei de assistir pela a Televisão o Show do Band of Horses  no Festival Lollapalooza, é a primeira vez que acontece esse Festival idealizado Perry Farrel aqui no Brasil foi um grande Show.

 Entre esperar a apresentação do Foo Figthers e dar role, optei pela segunda.
Chave, carteira, celular e fone de ouvido. Meu kit de sobrevivência para qualquer andança.Fecho a porta, o portão, há vizinhos e crianças na calçada é curioso o jeito que eles me olham como se eu fosse de um outro mundo, sorrio descontraído para eles que me retribuem porém, uns quatros passos adiante consigo ouvir cochichos maldosos sobre a minha pessoa. Deixa pra lá, eu não me importo.
Primeira parada a Padaria que mais parece um boteco, bêbados caídos no chão, outro te pedindo um real e outro que só querem pegar a sua mão. Uma lata cerveja e uma indecisão. Pra onde ir?
Sei lá... Os melhores clubes e bares estão apinhados de jovens com a idade do meu filho mais velho que acham Foster the People é melhor banda do mundo e, você corre risco da garota mais bonita te chamar de tiozão.

Ajeito o fone no ouvido “First Aid Kid” The Lions Roar. Lembro-me dessas duas adolescentes do Youtube fazendo cover do Fleet Foxes

Sei lá quando o nome da musica é nome do álbum sobrecarrega a musica de uma responsabilidade incrível  como que ela (musica) fosse o resumo do álbum em si.

De ônibus rumo ao centro na cidade, eu me assento perto da janela, à escuridão da noite é semelhante à escuridão de dentro de mim, há luzes fracas que mal ilumina as ruas, há traficantes, prostituições, há violência e algumas estrelas.

Ponto final, ganho as ruas do centro, cidade dos carrinhos de hambúrguer, dos cachorros abandonados e dos craqueiros. Bar do Chinês apinhado de desiludidos, de mulheres que traem, de empresários falidos, de artistas frustrados, de trombadinhas, gays e lesbicas. Parece que tudo que não presta ou deu errado na vida são fregueses assíduos desse bar.

Peço uma cerveja, Shin o chinês já me conhece, pede gestualmente pra tirar o fone e, num português quase indecifrável ele pergunta como estou, sem se importar como minha resposta “se estou bem ou mal” ele sai rapidamente pra atender outra pessoa, o negocio do Shin é dinheiro.

Do meu lado esquerdo, perto do banheiro, duas meninas lindas no auge da volúpia se beijam num frenesi doido que meus olhos não conseguem fugir e nem fingir. Outra cerveja, um artista frustrado aproxima de minha mesa e outra vez, sinto-me obrigado a tirar o fone dos ouvidos. Ele me mostra uma xilogravura do The White Stripes... Já vi xilogravura de Raul Seixas, Jesus Cristo, Kurt Cobain e até mesmo do Eddie Vedder... Porém do The White Stripes? Quem iria comprar uma xilogravura do The White Stripes?
Quanto custa? Perguntei.

Estava disposto a pagar cinquenta reais naquela maravilha.
_Tiozão... Paga litrão de Skol já era.
(Detesto que me chama de tiozão.)
O banheiro masculino do Bar do Chinês é imundo. Baratas e o cheiro forte de urina sempre muda minha rota para banheiro feminino.
Porra!!! Duas meninas nuas atracadas no banheiro...

Talvez nessa delonga eu tenha apertado o repeat quatro ou cinco vezes nesse maravilhoso álbum “The Lions Roar”.
De ônibus rumo ao Distrito, eu me assento perto da janela, à escuridão da noite é semelhante à escuridão de dentro de mim, há luzes fracas que mal iluminam as ruas, há traficantes, prostituições, há violência e algumas estrelas.
Adentro do meu lar, meu refugio... Ligo a TV algo chama minha atenção. Será? É... 



The Temper Trap - Ouça agora a nova música "Need Your Love"


quinta-feira, 12 de abril de 2012

The Lost Rivers - Sin & Lostness



Pra quem gosta de ruido e distorção, a boa noticia é o recém lançado álbum do trio alemão The Lost Rivers intitulado Sin & Lostness



A cena shoegaze agradece toda essa enxurrada sonora sem piedade, morte certa aos fonofóbicos.
 

                                     (Live)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Era assim... Ficou desse jeito. (Joy Division/ Dinho Ouro Preto)

Joy Division

Era Assim...
<a href="http://www.youtube.com/watch?v=qHYOXyy1ToI?hl=en"><img alt="Play" src="http://www.gtaero.net/ytmusic/play.png" style="border:0px;" /></a>

Dinho Ouro Preto

Ficou desse jeito.
<a href="http://www.youtube.com/watch?v=bIwZFxdw6LU?hl=en"><img alt="Play" src="http://www.gtaero.net/ytmusic/play.png" style="border:0px;" /></a>

Cursive - This House Alive (Video Novo)



domingo, 8 de abril de 2012

Dicas para o Domingo (Lost Lander)







sexta-feira, 6 de abril de 2012

Porcria - Ao vivo no Antifest

Mais uma vez o Blog Tendência Indie abre espaço pra promissora banda da cidade de Ilha Solteira Porcria. Com autêntico Hardcore (punk) eles esbanjam toda fúria em forma de música revigorando o movimento que, está prestes explodir as entranhas outra vez.


Confira :

















segunda-feira, 2 de abril de 2012

Vivendo do Ócio - Ao Vivo (Estúdio Trama)







First Aid Kit: NPR Music Tiny Desk Concert




Joy Division - Closer




Há loucura nessa casa, há loucura nos olhares de soslaios dos vizinhos, há loucura nos pedintes que tocam a campainha incessantemente e que, ninguém atende, há loucura nos pombos que amanhecem mortos pelo quintal.
Há loucura nos quatro cantos dessa casa, há loucura no voo das psicodélicas borboletas, há loucura exagerada das formigas vermelhas que carregam consigo um enorme gafanhoto já sem vida, há loucura na fuga desesperada de uma barata pelo quintal, há loucura no cachorro ao si coçar das sanguinárias pulgas, há loucura nas flores murchas sedentas por água no jardim, há loucura no sol que ilumina...



Ela se penteia, ela não vai embora, ela se borra no batom rosa em frente ao espelho. Ela pensa estar viva ainda... Não, não fui eu que morri...

Há loucura no filho mais velho visível em suas tatuagens, há loucura nos alargadores enormes em suas orelhas, há loucura no Pai imóvel  diante da televisão desligada, há loucura no cachorro que late a noite inteira, há loucura no som alto do carro com pneus furados.



Ela se penteia, ela não vai embora...

Há loucura quando chega noite, há loucura nas estrelas que se apagam, há loucura nas estrelas que permanecem acesas. Há loucura na quantidade de cerveja consumida, há loucura nos pratos que chocam violentamente nas paredes, há loucura na ferida que outra vez volta a sangrar, há loucura nos dias que passam e que não volta jamais, há loucura no som alto no carro de pneus furados.
Há loucura no medo de esquecer seus traços, há loucura no medo de esquecer o seu sorriso, há loucura de esquecer todos os momentos...



Ela se borra com o batom rosa em frente do espelho...

Paaaaiiiiiiiiiiiiiiiii... Há loucura no grito do filho mais novo, há loucura na corrida desajeitada do Pai até o quarto.
_ O que houve filhinho o Papai tá aqui...
_A mamãe Papai...
_A mamãe foi morar com Deus. Papai já falou sobre isso.
_Não Papai. Ela não foi morar com Deus. Ela tá atrás de você.

“Há loucura no som alto do carro Pneus furados”






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...